Úlceras em Pé Diabético: casos clínicos

Casos clínicos 1: Úlcera Pé Diabético
Sra  S.A.B, sexo F, 27 anos, cor não branca, ensino fundamental incompleto, solteira, mãe de 1 filho, trabalha no comercio.
Diagnóstico: úlcera de pé diabético há 5 meses que evoluiu para gangrena e amputação de ante-pé E.
Tratamentos anteriores: Sulfadiazina de prata, rifocina e colagenase
Avaliação inicial: ferida medindo  18 X 7cm, profundidade 1,8 cm, com  60% de fibrina e 40% de granulação, odor  fétido,
Tratamento Tópico inicial recomendado: Cobertura de Alginato de cálcio associado ao carvão ativado (Carboflex®), preenchimento de cavidade com alginato, cobertura secundária com gazes tipo queijo. Trocas da cobertura secundária 3 a 4 vezes ao dia e Troca completa a cada 3 dias até o controle do exsudato e odor. *Fez uso de antibiótico sistêmico prescrito pelo médico.
Maceração: no primeiro curativo paciente não trocava corretamente (Figura 1).
Tratamento após controle do exsudato: Alginato de cálcio e Bota de Unna, de forma a manter um conforto e evitar manipulação da lesão.
Tempo de cicatrização:  5 meses 



Figura 1: 1ª troca 


Figura 2: 1 mês (controle do exsudato)

Figura 3: 2 meses (BU + Alginato)


Figura 4: 4 meses cicatrização quase completa

Figura 5: 5 meses cicatrização completa

Em breve outros estudos serão acrescentado.

SE VOCÊ ACHOU INTERESSANTE DEIXE COMENTÁRIOS ABAIXO! PARTICIPE

26 comentários:

  1. Olá Idevânia como é bom ver o quanto o CUIDADO DE ENFERMAGEM, faz a diferença a milhares de pessoas que passam pelas nossas mãos, pelo comprometimento que assumimos utilizando a melhor evidência e a mais zelosa prática profissional. Sinto -me orgulhosa por ver seu excelente trabalho e ter capitaniado parte de um processo nacional pela luta da prevenção das amputações desencadeadas pelo mal controle metabólico no Diabetes mellitus, parabéns pela iniciativa.
    Profa Mônica Antar Gamba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Profª Mônica é uma imensa alegria receber sua visita aqui no blog. Esse é apenas um pouco do muito que a Enfermagem pode fazer pelos pacientes com feridas complexas. Pretendo continuar a seguir seu exemplo na militância em defesa desta causa. Suas contribuições junto à prevenção de feridas neuropáticas trouxeram grandes repercussões e podemos dizer que és uma referencia nacional nesta área. Obrigada pela Visita e volte sempre!bjos

      Excluir
  2. OLá Idevania!

    Parabéns pelo trabalho e pelo BLOG!Gostaria de continuar as visitas e indicar aos meus alunos.

    Abraços
    Profa. Elisa Rodrigues
    Escola de Enfermagem Anna Nery
    Sociedade Brasileira de Enfermeiros Pediatras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Profª Elisa fico muito lisonjeada com sua visita. Seja bem vinda sempre juntamente com seus alunos. Esse é um espaço de compartilhamento do saber e é importante trazer a academia para participar dessas experiências não somente teóricas mas da prática clínica para os acadêmicos e profissionais.Solicito portanto que para continuar acessando basta se inscrever como membro, ao indicar para seus alunos solicite que os mesmos tb efetuem a inscrição. É fácil e rápido e após isso o acesso será permanente! Abraços

      Excluir
  3. Oi D, ADOREI RECEBER ESTE EMAIL, SÓ POSSO DIZER QUE SUA CONTRIBUIÇÃO E DEDICAÇÃO A TODOS NÃO TEM PREÇO. QUALQUER DIA DESSES VOU TE FAZER UMA VISITA. UM ABRAÇO

    Profs. Heloísa Ruver

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Heloísa a quanto tempo hein!! Fiquei muito feliz em receber sua visita e em saber que vc gostou de conhecer esse trabalho que particularmente considero lindo! Principalmente porque inicia com o sofrimento do outro mas mostra a essencia da enfermagem "Cuidar de gente", e com certeza a dedicação é uma palavra chave! Ver o resultado do nosso trabalho se concretizar é muito prazeroso. Pena que não dá para mostrar aqui a imensa alegria que os pacientes sentem quando isso acontece!! Volte sempre, cadastre-se para continuar acessando e chame seus alunos ok! Bjs

      Excluir
  4. OLá Idevania!

    Parabéns pelo trabalho e pelo BLOG, Você é um exemplo para todos os profissionais da saúde. Este BLOG é importante para nos acadêmicos, principalmente os que tem campo de estagios "carentes", compartilhar experiencias erriquecem nossos conhecimentos.
    Parabéns!!!

    acadêmica do 7° semestre de enfermagem-UNED
    Fernanda Tavares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernanda, é um prazer compartilhar esse trabalho rico de conhecimento e experiência, com os profissionais de saúde e acadêmicos. Quem faz a diferença é cada um de nós e quando fazemos aquilo que gostamos nos motivamos com o resultado! Logo, logo vc tb verá seu trabalho se concretizando! Cadastre-se, para continuar nos visitando e convide seus colegas tb. Os acdêmicos de enfermagem da UNED são sempre bem vindos aqui, adoro vcs! Abraços

      Excluir
  5. Oi Idevânia! Parabéns pelo caso apresentado. Gostaria que falasse um pouco sobre a ação da Bota de Una nessa situação e quais as indicações.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Daiany primeiro quero enfatizar que a Bota de Unna (BU)deve ser indicada somente apos avaliaçao de um profissional capacitado como por exemplo o Medico vascular ou pelo enfermeiro capacitado em verificar o indice tornozelo braço com o aparelho especifico (vejo o capitulo avaliaçao). Bom neste caso usamos a BU porque essa paciente era muito ansiosa e nao realizava as trocas corretamente em casa, a higiene tb era precaria, assim com a BU as trocas eram realizadas somente no ambulatorio, nas primeiras semanas a cada 3 dias e depois a cada 5 dias (a medida que o exsudato diminuia de quantidade) tb proporcionou mais conforto a paciente e evitou manipualaçoes desnecessarias. Assim funionou mais como uma cobertura secundaria...qualquer duvida mais envie outra mensagem! Obrigada pela participaçao! abs.

      Excluir
  6. ola tenho uma duvida o alginato porque nao e indicado o uso em queimaduras de 3ºgrau ou associado com antibiotico topico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O alginato pode ser indicado em qualquer ferida com media a grande quantidade de exsudato, independente de ser ulceras ou queimaduras! O que se deve considerar sao as caracteristicas da ferida e as indicaçoes do fabricante associado è claro a experiencia do profissional! Veja no capitulo terapia topica as indicaçoes do alginato! Quanto ao antibiotico (ABT) topicos, esse nao deve ser utilizado em feridas cronicas em hipotese alguma, pois a quantidade que sera absorvida topicamente nao sera o suficiente para debelar a infecçao alem disso pode-se causar mais ainda resistencia bacteriana ao ABT assim tratar a infecçao de feridas cronicas deve se utilizar o antibiotico sistemico, prescrito pelo medico de preferencia apos uma cultura do exsudato! Qualquer outra duvida poste mais comentarios! Obrigada pela participaçao.

      Excluir
  7. Oi Ide, fico emocionada e comovida com a sua dedicação, perseverança e profissionalismo, você é um exemplo profissional que sempre tenho em mente... sou muito grata por todas as suas orientações e oportunidades, aprendi muito com você!!!! Obrigada por compartilhar um pouquinho das suas experiências, aprendo muito com elas. Um grande abraço, sucesso sempre!!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi Lilian querida, assim vc me deixa emocionada tb!! È um prazer receber sua visita neste espaço tao importante e que esta crescendo tao rapido...agora tenho mais um trabalho: transformar essas publicaçoes em ingles e fazer issa rica experiencia chegar em todo canto do mundo!! Tb aprendi muito com voce, vc nao imagina o quanto!! Muito sucesso no seu mestrado e nao pare por ai nao viu...bjao

    ResponderExcluir
  9. Boa noite! bom gostaria de saber qual foram remedios,e qual procedimento que foi feito,qual pomada,e quantas vezes curativo,estamos com pessoa que tb tem diabete,e saiu do hospital faz um mes,porem o medico so pode atender ele daqui 3 meses,queriamos ajuda ou dica para poder cuidar ate o dia da consulta...agradeço se pder me responder!

    ResponderExcluir
  10. Boa noite, gostaria de saber se esse procedimento serve para pessoa 57 anos e diabetico,e qual seria melhor procedimento adquado,nesse caso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro desculpe o atraso em responder, mas estava tendo problemas com esta pagina, nada estava aparecendo. Bom enfim, se ainda posso te ajudar, o que te digo é que atualmente nao usamos mais pomadas para tratamento de feridas em sim coberturas, pois ha muitos produtos novos no mercado que realmente trazem mais beneficios do que certas pomada,(digo especificamente em caso de feridas cronicas!?. Nesse caso (acima)por exemplo nao utilizamos pomadas, pois ferida cronica é de grande extensao e usa exsudar muito assim é preciso utilizar coberturas que controle a umidade para nao haver maceraçao. Ressalto que, paciente com ferida cronica precisa ser cuidado por uma equipe multiprofissional, incluindo enfermeiro, medico, fisioterapeuta, psicologo e nutricionista (dentre outros se disponivel). Cada caso é diferente do outro mesmo que a patologia de base seja a mesma, assim o profissional precisa muito conhecimento para tomar decisao. Analise o caso acima e as informaçoes nesse site e veja o que vc encontra que possa ser adequado para seu paciente, leve para a equipe e discuta isso em conjunto tb. Esse é o primeiro passo! Desejo sucesso e seja sempre bem vindo. Obrigada por participar.

      Excluir
  11. olá gostei muito do site... já aqui não sei mais oque fazer onde nós moramos é muito difícil encontrar alguém assim que trate mesmo de seus pacientes meu sogro tem 60 anos e já foi ao medico mas as ulceras que ele tem no pé ainda são pequenas ele tem 2 ulceras uma perto do calcanhar e uma onde tinha um calo no dedão a do dedão esta mais complicada pois saiu a pele do calo que ele tinha e ficou um negocio mole que eu não sei qual é o nome agora esta fétido e eu não sei mais oque fazer e nem oque por como posso ter contato com voces
    me ajudem...sou de Curitiba qual médico especialista devo procurar..me orientem

    ResponderExcluir
  12. Sensacional! Parabens pela iniciativa e ideias brilhantes, sucesso para seu blog e sua carreira.
    Me chamo Lúcio, sou Enfermeiro,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vindo Enfo Lucio! Aproveite muito este espaço sempre que precisar! É um espaço nosso! Obrigada e Sucesso!

      Excluir
  13. ola, tudo bem? gostaria prineiramente de lhe parabenizar pelo seu excelente trabalho... parabéns.
    gostaria de tirar uma dúvida com você, se possível.
    tenho uma paciente que tem pé diabético, antes tinha apenas um dedo amputado, apartir desta amputação, houve um processo infeccioso no qual houve a necessidade de fazer uma segunda amputação dos outros quatro dedos, mais um desbridamento de outras áreas desvitalizadas.
    nos curativos utilizo no momento lavagem com soro e AGE, gostaria de saber se o uso da Colagenase poderia ajudar neste tipo de ferida, ou qual outro produto utilizar. desde já agradeço. Att: Jonatas G.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Priscila. Olha a colagenase eu particularmente nunca vi bons resultados já até escrevi algo sobre ela aqui no blog. Tente acha em algum dos comentarios. Voce deve definer o tipo de produto ou cobertura de acordo com as caracteristicas da ferida (pouco a muito exsudato, tecido granulado a tecido necrotico) Cada produto só terá bons resultados se utilizado adequadamente. No caso do pé diabetic, um grande fator de risco para a amputaçao é o comprometimento vascular e por isso o acompanhamento do medico vascular é super importante assim como do endocrinologistas e de um nutricionista. O enfermeiro tem o papel de identificar quais as necessidades do paciente, pois muitas vezes somos nós o seu primeiro contato. Espero que vc tenha sucesso neste caso.

      Excluir
  14. Boa tarde Enfª Idevânia, estou sofrendo com o tratamento dos pés do meu pai que sofreu um AVC, e devido a este, sofreu lesões nos calcanhares de ambos os pés, o mesmo é diabetico e estamos conseguindo controlar, contudo após uma cultura do local da lesão foi constatado a infecção por "pseudomona aeroginosa", não sei mas o que fazer para combater tal infecção e o meu medo é que ele venha a ter que amputar o pé, por favor me ajude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Noite Ubiratan. Primeira coisa é ter o suporte de uma equipe interdisciplinar: médico endocrinologista para dar o suporte quanto ao controle da diabetes; neurologista (AVC), infectologista para ajudar à combater a infecçao, nutricionista (implementando dieta adequada tb para a cicatrizaçao coma Vit A, C, zinco etc), fisioterapeuta (reabilitaçao) e enfermeiros que conhecem de feridas para acompanhar a evoluçao do processo de cicatrizaçao, controlando o exsudato (secreçao) que muitas vezes em grande quantidade produzido pelas toxinas da bactéria e implementando barreiras protetoras para evitar maiores contaminaçoes. Uma boa cobertura para uma fase inicial é a gaze de nao tecido com carvão ativado e alginato (descrito aqui no blog em terapeutica). Bom,medico (infectologista) deve ter também feito um antibiograma para encantrar qual antibiotico a bacteria é sensível e entao iniciar com este para combater a infecçao. O tratamento é longo e o antibiotic deve ser injetavel, caso contrario terá pouco efeito. Periodicamente deve ser repetido a cultura e o antibiograma para ter certeza se o tratamento está funcionando. O controle da glicemia é essencial neste processo e o apoio da família é SUPER importante!!! Espero ter ajudado nestes direcionamento e desejo sucesso à esse caso!!

      Excluir
  15. Prezada Profª. Idevânia, vejo que é uma pessoa muito dedicada ao que faz Aproveito essa oportunidade para lhe perguntar se você sabe de um trabalho extraordinário desenvolvido pelo Dr. Marçal Queiroz Paulo, médico pesquisador da UFPB de João Pessoa, que através da suas pesquisas de décadas sobre feridas, desenvolveu dois produtos denominados de NATURA SKIN e VERHAGEL (gel desbridante), que juntos têm curado diversas feridas pé-diabético e evitado inúmeras amputações. Como vejo que além de tudo é estudiosa do assunto e a Paraíba fica perto daí do RN, você poderia entrar em contato com ele para maiores informações.

    ResponderExcluir
  16. Bom dia Prof. Idevânia, estou acompanhando alguns pacientes com feridas complexas aqui na minha unidade de saúde, alguns sem exito com a rotina de curativos simples. Então juntamente com o medico da casa estipulamos para ulceras venosas cronicas o uso da placa de hidrocoloide com pouco exsudato, temos boa evolução, já outro paciente com muito exsudato, fibrina 60% com ulcera no maléolo interno de 8cmx10cmm, foi prescrito alginato com poliuretano de prata. Quando fez a troca do curativo observei que a área da fibrina tinha se esplandido ainda mais, fiz a remoção mecânica e fiquei na duvida se seria a melhor opção para este paciente.Aguardo retorno

    ResponderExcluir

Deixe seus comentários, experiências, dúvidas... Participe!!