Atenção!

Este site oferece apenas informações à nível educacional. Se você está buscando diagnóstico ou tratamento de ferida(s) crônica/complexa(s) os aconselhamos à procurar centros especializados em feridas. Os centros especializados estão, geralmente, localizados em hospitais universitários (público) ou clínicas especializadas.

Avaliação

1.  AVALIAÇÃO DO PORTADOR DE FERIDA
      O Exame clínico (anamnese + exame físico)  é uma ferramenta que tem por finalidade auxiliar o enfermeiro na tomada de decisão quanto ao melhor tratamento ao portador de feridas  e constituem a base para a inter-relação das demais etapas (RABELO E ALITI, 2010).
    O exame físico e anamnese poderá ser efetuado por meio de impressos próprios utilizando como base as informações contidas na literatura e adequando-as à realidade de cada instituição Segundo a “World Union of Wound Healing Societies”  os Princípios de boas práticas em avaliação de feridas ou Best Practice recommendation são (WUWHS, 2007): 1) Determinar a causa da ferida, 2) identificar comorbidades/complicações que podem retardar a cicatrização; 3) Avaliação do estado da ferida/classificação da ferida e 4) Plano de cuidado individual.

A)   Anamnese
É a primeira etapa do exame clinico. A entrevista tem por finalidade resgatar os dados da história clinica, estabelecer o vinculo necessário com o paciente e subsidiar as informações que serão registradas no prontuário, a partir da história relatada (RABELO E ALITI, 2010). A história clinica envolve uma série de perguntas, que inicia pela identificações:
- Identificação do paciente: idade, sexo, cor, profissão, estado civil, escolaridade.
- Queixa principal, História do problema atual, Antecedentes pessoais e familiares, Tempo da ferida, Alergia a medicamento, Produtos utilizados na ferida, Se é recidiva (quantas?), presença de Comorbidades (doenças pré-existentes),

Entrevista

B)   Exame físico específico para ferida
O exame físico consiste em aplicar as seguintes técnicas básicas (RABELO E ALITI, 2010):
Inspeção: olhar atento
Palpação: exploração do local de exame;
Percussão: identificação de sons (abdome, tórax)
Ausculta: audição de ruídos - Doppler vascular (Figura1)
Olfato: auxilia no diagnóstico
Figura 1 -Doppler para avaliação de ITB
 A avaliação do portador de feridas consiste basicamente em:
1- Avaliação do estado geral: útil para dar noções da gravidade da doença, levando em consideração os sinais de sofrimento através da respiração (taquicardia, dispnéia) expressão facial (dor, sudorese, posição, gemência etc)  e pelo grau de agitação do paciente (inquietude), coloração, hidratação etc

Exame físico geral

2- Avaliação dos Membros inferiores: (edema, pulsos, veias, sensibilidade, deformidades, atrofias, amputações etc)


Edema (Sinal de cacifo)

Avaliação dos Pulsos em membros inferiores:
      O pulso é verificado por meio da palpação de uma artéria, durante 1 minuto verificando as características de intensidade e ritmicidade.
      Esta avaliação deve ser feita nos pulsos pedioso, tibial posterior e poplíteo comparando os segmentos homólogos para se estabelecer a medição. Sempre iniciar do ponto distal para o proximal (SMS/BH,2006). 
 3- Avaliação da ferida: deve-se considerar a etiologia, o tipo de tecido no leito de ferida, presença e características do exsudato, tamanho e profundidade da ferida, avaliação da dor, presença de microorganismo e tempo da ferida.

Avaliação da Ferida

1.1 Avaliação da Ferida
     A avaliação e documentação da ferida deve contemplar os princípios de preparação do leito da ferida, recomendada internacionalmente pelo acrônimo TIME/DIME (Tissue/Debridement, Infection, Moisture, Edge) (SIBBALD et al, 2006; ARON e GAMBA, 2009):
- Tecido não viável (retirar e preparar o leito);
- Infecção/inflamação (diminuir carga bacteriana);
- Umidade da ferida (controle de umidade);
- Bordas da ferida não avançam (proteger e desbridar);

 1.1.2     Tipo de tecido no leito da ferida
Feridas necróticas/escara: varia de coloração, desde a cor preta, cinza, esbranquiçada, marrom até a esverdeada e preta. Corresponde ao tecido morto, desidratado, podendo estar presente também o pus e o material fibroso, que favorecem a multiplicação de microorganismos. A crosta (Figura 2) é um tipo de tecido desvitalizado, devido a sua exposição ao ar, ocasionado pelo ressecamento e desidratação celular (UNICAMP, 2000).  Há dois tipos de necrose: necrose por liquefação (esfacelo)  e necrose coagulativa (Escura);
Figura 2 - Crosta após eritema bolhoso de Hanseniase

Figura 3 - Necrose de liquefação
Fibrina ou esfacelo: é uma proteína insolúvel formada a partir do fibrinogênio pela ação proteolítica da trombina durante a coagulação normal do sangue. Na lesão, a fibrina é aderente aos tecidos e tem coloração esbranquiçada ou amarelada, podendo ser confundida com pús (UNICAMP, 2000). A fibrina ou esfacelo pode recobrir toda a extensão da úlcera ou se apresentar como pontos de fibrina recobrindo parcialmente a lesão (Figura 4).


Figura 4 - Fibrina em UV de 10 ano

Feridas com granulação: caracteriza-se pela formação e crescimento de um tecido vascular novo (angiogênese), pelas células endoteliais dos vasos sanguíneos e uma matriz rica em colágeno secretada pelos fibroblastos. Têm a aparência de pequenas massas nodulares vermelhas, translucentes e aveludadas  (UNICAMP, 2000). 
  

Figura 5 - Tecido de granulação com (hipergranulação)


Tecido de epitelização:  apresenta migração e multiplicação de células epiteliais sobre uma superfície desnunda durante o processo cicatricial. (UNICAMP, 2000)


Ferida 6- Epitelização

Atenção: A avaliação da quantidade de tecido viável (granulação) e inviável (fibrina e necrose) fica mais clara quando se atribui  valores percentuais do que está sendo observado, para isto pode-se dividir a ferida em 4 partes iguais ou aproximadas e atribuindo a porcentagem de 25% para cada parte, podendo variar em 10%, 15%, 20%, 50% etc. entre tecido viável (granulação) ou não viável (necrótico)

1.1.3 Quanto ao conteúdo microbiano
 Limpa: lesão feita em condição assépticas e isenta de microorganismos.  Ex: Não envolve trato respiratório, gastrintestinal, genital, trato urinário e orofaríngea.
Limpa contaminada: Ferida feita sob condições assépticas  envolvendo cavidades corpórea que normalmente abriga microorganismos ou com tempo inferior à 6 horas  entre o trauma e o atendimento semcontaminação significativa. Ex: cirurgias que  envolvem cavidades; traumas por acidentes.
Contaminada: lesão com tempo superior a 6 horas entre o trauma e o atendimento e  com presença de contaminantes, mas sem processo infeccioso local. Ocorre durante procedimentos cirúrgicos sob condições nas quais há provável presença de  microorganismo. Ex: feridas abertas, traumáticas, acidentais, feridas cirúrgicas com falha na assepsia. Colonizada: Presença de múltiplos microorganismos no leito da ferida. Ex: ferida  crônica (úlcera de estase vascular, úlcera de pressão).
Infectada: presença de agente infeccioso local e lesão com evidência de intensa   reação inflamatória e destruição de tecidos, podendo haver pus. O tecido apresenta-se friável (vermelho intenso) sangra facilmente e presença de sinais flogíticos. Ex: ferida  que não cicatriza; velhas feridas traumáticas, úlceras. (POTTER & PERRY, 1999; UNICAMP, 2000).

1.1.4     Quanto as características do exsudato
 O exsudato é o produto resultante de um processo inflamatório ou infeccioso. As características envolvem:
o tipo, a quantidade, a cor, o odor e a consistência (PREZARES, 2009).
     O exsudato das ferida se reproduzem em resposta a uma interação entre: etiologia da ferida; fisiologia da
cicatrização e processos patológicos/toxinas das bactérias (WUWHS, 2007):
· Seroso: Fluido, transparente
· Serosanguinolento: fluido, seroso, ligeiramente róseo
· Hemorrágico ou sanguinolento: é decorrente de lesões com ruptura de vasos.
· Purulento: produto inflamatório liquido, rico em proteínas e composto de leucócitos e restos
  celulares.
Volume do exsudato:
- ausente: cobertura permanece seca em 24h
- Pouco: necessário apenas uma troca da cobertura secundária em 24h
- Moderado: necessário 2 trocas da cobertura secundária em 24h
- grande: necessário 3 trocas da cobertura secundária em 24h
- Abundante: necessário mais de 3 trocas da cobertura secundária em 24h
Odor e coloração do exsudato:
  O odor é proveniente de produtos aromáticos produzidos pelas bactérias e tecidos em decomposição
pode ser inodoro ou fétido (WUWHS, 2007).
Coloração: Depende do pigmento específico de algumas bactérias, podem ser: Amareladas; Avermelhadas;
Esverdeadas; Amarronzado.

1.1.5 Mensuração vertical X horizontal e profundidade
- proceder à limpeza da ferida conforme técnica de soro em jato ou ducha;
- Utilizar régua padronizada pelo serviço;
- traçar uma linha na maior extensão vertical e maior extensão horizontal formando;
- anotar medidas das linhas em cm (no impresso de evolução) para comparações posteriores.
- multiplicar uma medida pela outra para se obter a área em cm².


Figura 7 - Mensuração

Atenção:
- Na presença de duas ou mais feridas, separadas por pele íntegra de até 2 cm, deve-se considerar como ferida única. Fazer a mensuração das feridas, calcular a área lesada e somá-la;
Profundidade da Ferida
- limpar a ferida;
- introduzir um cotonete no ponto mais profundo da ferida;
- medir com uma régua o segmento marcado e anotar resultados em cm para comparação posterior.

Figura 7 -Avaliação da profundidade

1.1.6 Escalas de Avaliação de Dor 
     O paciente informa o escore de dor, segundo avaliação própria, após ser esclarecido da correspondência de cada valor (SMS/BH, 2006):
0 – ausência de dor;
1 – leve: dor sem demanda de analgésico;
2 – moderada: dor com demanda de analgésico relativa;
3 – intensa: dor com demanda de analgésico em horários específicos.

1.1.7  Pele ao redor da ferida
A inspeção da pele circundante demonstrará se existe alterações como: celulite, edema, corpos estranhos, dermatite ocre (UV), maceração, hiperceratose  etc.
Deve-se avaliar: a vascularização, presença de edema, dermatite ocre ou hipercromia, hipocromia, hiperemia, sinais de infecção (flogisticos) (PREZARES, 2009).
Além disso deve-se avaliar aspectos da própria cicatrização como: epitelização e contração de bordos (pele aderida). O ideal e desejável é encontrar borda lisa, não enrolada e aderida ao leito da ferida (AZEVEDO, 2005).
   A maceração são decorrentes de hidratação excessiva da própria ferida que extravasa o exsudato para além dos bordos. A pele se torna branca, intumescida e pálida, podendo surgir fissuras, o que propicia a infeção e aumento da ferida, sendo necessário trocas da cobertura secundária mais freqüente e utilização de cobertura que controle melhor o excesso de exsudação.


Figura 8- Maceração          
 A hiperceratose e o calo são espessamento excessivo da pele, frequenteente causado por um atrito crônico, comum em paciente com perda da sensibilidade, tais como em pé diabético e de hanseníase. Deve ser removidas para evitar o aumento da pressão excessiva e impedimento de migração das bordas (PRAZARES, 2009).
Figura 9- Remoção da Hiperceratose


2. REFERÊNCIAS
Azevedo MF. Feridas.: incrivelmente fácil. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.
Belo Horizonte. Protocolo de Assistência para Portadores de Ferida. Belo Horizonte: Secretaria Municipal de Saúde, 2006.
Costa, Idevânia Geraldina. Prevenção e tratamento de feridas: Guia prático. 3ª Ed. Cuiabá: Práxis Educativa, 2008.
Hess, C. T. Tratamento de feridas e úlceras. 4. ed. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2002. 226p.
Mandelbaum SH, Di Santis EP, Mandelbaum MHS. Cicatrização: conceitos atuais e recursos auxiliares- parte II. An bras Dermatol, Rio de Janeiro, 78(5):525-542, set./out. 2003.
Potter, P A. ; Perry, AG. Fundamentos de enfermagem: conceitos, processo e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999
Prazeres SJ. Tratamento de feridas: teoria e pratica. Porto Alegre: Moriá, 2009.
Rabelo ER, Aliti GB. Exame Físico. In: SOUZA, EM. Casos clínicos para a enfermagem. Porto Alegre: Moriá, 2010.
Universidade Estadual de Campinas. Manual de Tratamento de Feridas. Hospital das Clinicas de Campinas. Grupo de Estudos de feridas. Campinas, 2000.
World Union of Wound Healing Societs (WUWHS). Principios de las mejores prácticas: exsudado en las heridas y utilidade de los apósitos. Documento de consenso. London: MEPLtd. 2007


DEIXE SEUS COMENTÁRIOS OU DÚVIDAS

84 comentários:

  1. Parabéns pela dedicação Prof. Idevania e obrigada por compartilhar este rico conhecimento.

    ResponderExcluir
  2. Olá Leila, fico feliz pela sua visita, seja bem vinda! Obrigada, abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola mora na cidade de Campinas, minha mãe tem ferida de úcera há 4 meses esta difícil a cicatrização, você poderia me informar o endereço da clinica para tratamento especifico de ferida de ucera

      Excluir
    2. Prof. meu nome é Klébio, trabalho com feridas e, devido a sua experiencia como vejo acima. Gostaria de mais informações sobre a eficaciado açúcar e atuação na lesão, como:
      Atuação sobre a granulação;
      Efeitos sobre a fibrina;
      Seu efeito bactericida;


      meu e-mail. keuhipermed@hotmail.com
      Desde já agradeço.

      Excluir
    3. Oi como posso cecratizar uma ferida
      Mordida de cobra a ferida não cecratiza tem mas de dez anos q eu tenho essa ferida

      Excluir
  3. Obrigada por partilhar esse endereço eletrônico vai ser de grande valia!!
    Bjus
    Feliz 2012
    Enf. Msc Silvia Falleiros Fleming

    ResponderExcluir
  4. Olá Silvia querida, que bom receber sua visita e poder compartilhar essa rica experiência contigo...Seja bem vinda sempre!! Obrigada e Feliz 2012 para vc tb! Saudades...Bjos:)!!

    ResponderExcluir
  5. NOSSA PARABÉNS MESMO, FIQUEI IMPRESSIONADA!SERIA ÓTIMO SE VC REALIZASSE CURSOS, EU SERIA UMA ALUNA!!!
    FELICIDADES E TUDO DE BOM!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cibely, fico feliz com sua visita e elogios...sempre dei cursos nesta area em MT, mas atualmente estou morando em Toronto, Canada, para estudar mais e trocar experiencias! Obrigada e Volte sempre...abs

      Excluir
    2. Elizangela lazareth4 de janeiro de 2016 15:25

      Estou cursando enfermagem, e gosto muito do assunto não deixe de compartilhar de sua conhecimento que adquiri aí em Toronto. Bjs

      Excluir
    3. Lendo o artigo para acompanhar a cicratização em abdomem de gata, devido ao rompimento de pontos cirurgicos da pele e perda de parte desta.Veterinário inicialmente receitou spray de "Neodexa", uso vdterinario, com Neomicina e Dexametasona; depois de 15 dias trocou por pomada de Kollagenase com Cloranfenicol. Área aberta avermelhada e umida, sem sinais de infecção.

      Excluir
  6. tirou muitas duvidas minhas, parabens mesmo.

    ResponderExcluir
  7. parabens e obrigado né, rs.
    grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Obrigada Gabriel por participar com seus comentarios. Muito bom saber que esse projeto contribuiu esclarecendo suas duvidas. Volte sempre e lembre-se de se increver como membro!! Abs.

    ResponderExcluir
  9. ADOREI, esclareu minhas dúvidas sobre esfacelo e fibrina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olà Lais. Fico feliz em receber sua visita em nosso blog e em saber que o conteudo postado aqui,lhe ajudou a esclarecer suas duvidas. Visite-nos sempre e se precisar deixe suas duvidas. Terei muito prazer em ajudar-lhe!. Abs

      Excluir
  10. Idevânia, a necrose de coagulação é a necrose seca também chamada escara?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi. Agradeço sua visita. È isso mesmo è esses nomes sao sinonimos. Volte sempre! È um prazer esclarecer todas as duvidas de nossos membros e visitantes! Boa semana. Abs

      Excluir
  11. Olá Idevânia! Gostaria de saber quais as indicações para o uso de mupirocina no tratamento de feridas.

    Tamires

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo trabalho brilhante, sou aluna de enfermagem e técnica e um dos meus objetivos é saber cuidar das feridas, principalmente as crônicas, estou fazendo minha linha de pesquisa e meu tema é feridas " Ulceras de pressão" procurei seu blog sempre e seus trabalhos científicos para me aprofundar no assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico muito feliz em receber seu feedback e em saber que ha mais pesquisas sobre UP sendo desenvolvida. Realmente cuidar de feridas cronicas é um grande desafio para os profissionais de saude. Me lembro como hoje do meu primeiro paciente, com ulcera venenosa (picada de cobra)...dali em diante tambem tracei este objetivo e nunca mais parei de me atualizar...siga em frente minha querida tenho certeza que vc tera muito sucesso e os pacientes se beneficiarao disso! Volte aqui sempre que precisar ok. Forte abraço.

      Excluir
  13. posso mudar de pomada quando usado sulfa em ferida com tecido de granulação?

    ResponderExcluir
  14. Respondendo sua pergunta, a pomada de sulfadiazina de prata tem indicaçao especifica para queimadura de grande extensao e com presença de necrose ou fibrina, devido ao material propicio a infecçao, assim deve ser utilizado nesta fase apenas (curto tempo), para nao causar resistencia bacteriana. Para saber mais inormaçoes tem uma resposta que escrevi para uma pergunta parecida, na seçao de Terapeutica, no menu a cima. Por favor dê uma olhadinha OK. Grata pela participaçao.

    ResponderExcluir
  15. ola meu avô esta com uma ferida acima do calcanhar, esta dificil a cicatrização, parece que falta circulação nos membros inferiores, pois as pernas estão inchadas e um pouco escurecidas, essa ferida tem em torno de 5cm de diametro e o aspecto dela é como se a carne tivesse crescendo para fora, as ulceras que conheço são profundas, a do meu avô ao invés disso é aberta e pouco para fora. ele sente muita dor, o que será que resolveria para dor, pois lateja muito. agradeço a quem puder me ajudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Viviane primeiramente voces devem consultar um medico vascular que fora exames para identificar o grau de comprometimento venoso or arterial que se encontra nos membros inferiors, muito comum com o passar da idade. Essa "carne" que cresce para fora parece ser a hipergranulaçao. Procure profissionais especializados em feridas na rede publica ou privada há varios centros especializados veja qual é o mais proximo de voces. Boa sorte e obrigada pela participaçao!

      Excluir
  16. Por favor entre em contato comigo por e-mail pra vc ver se vc pode avaliar através de fotos um ferimento que meu marido tem no pé devido a um acidente de moto com fratura de calcanho e perda de coxim, se puder me contatar sua ajuda vai ser de muita importancia pra nós
    meu e-mail:
    tremeterracps@hotmail.com
    Grata
    Kátia Munhoz

    ResponderExcluir
  17. Olá! Primeiramente parabéns pela iniciativa!
    Também estudo este assunto e atuo nesta área. Coincidentemente estarei me mudando para o Quebec em 2014.
    Você poderia compartilhar um pouco sobre sua vivência nesta área aí no Canadá?
    Obrigada!
    Juliana
    junursecanada@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Juliana. Aqui tem muitas oportunidades para enfermeiros am todas as areas!! Vou te escrever um e-mail. Abs

      Excluir
    2. Olá Juliana lhe escrevi um e-mail mais voltou.

      Excluir
  18. Ótimoooo! Bem explicado e claramente! ;)

    ResponderExcluir
  19. ola meu amigo esta paraplegico e veio do hospital com um hrocoloide e ao retirar oi mesmo a pele do local na regiao do cox sai junto causando uma pequena lasao o que fazer , dizem que a pomada fibrina e muito boa devo usa-la

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá recomendo a avaliaçao por um professional de saúde especialista em feridas que inclusive irá providenciar um plano de cuidados para prevençao de futuras feridas , pois a imobilidade é um fator de risco muito importante no desenvolvimento de ulcera por pressao. Grata, Profa Idevania

      Excluir
  20. Prezada Prof(a). Idevania, encontrei esse blog através de uma busca no google, de instituições que tratam feridas de longo prazo, de difícil cicatrização, pois trabalho com um creme de nanotecnologia com alto grau de cicatrização e tenho feito parcerias com vários hospitais para avaliação desse. Também sou de Campinas, vou deixar aqui meu email para que possamos trocar informações, ok? mirella@servfarmadistribuidora.com.br

    ResponderExcluir
  21. Bom dia!
    Então esfacelo e fibrina é a mesma coisa?
    Abraço

    ResponderExcluir
  22. meu nome e Joana darc estou com uma escara a quase 3 anos esta bem pequena mais funda metade de um contonete e com fibrina gostaria de saber dicas de pomadas que cicatrize rapido meu e-mail e jalvesjoaninha@gmail.com grata Joana

    ResponderExcluir
  23. olá, estou colocando dersani com alginato em minha carne esponjosa do dedão do pé e estou sentindo algum alívio, Tô fazendo certo? Grato pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a quanto tempo vc esta usando? e diminuiu a carne esponjosa?

      Excluir
  24. Li seu artigo, e foi muito útil, estou acompanhando uma ulcera venosa de minha tia, como ferida não é minha área fico na dúvida relacionada a cicatrização, uso atualmente colagenase com clorafenicol, pois apresentava escara, está debridada, mais apresenta uma quantidade de esfacelo, estou mudando a colagenase pelo hidrogel com alginato, devido ser mais viável para a destruição do esfacelo e proliferação granular, me responda se estou certa por favor, estou pensando em placa de hidrocoloide também. mariamoura2476@gmail.com.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria mudra a colegenase para hydrogel é uma conduta muito melhor. Mas como disse em comentários anteriores a Bota de Unna é o tratamento ouro para ulcera venosa pois ativa a circulaçao sanguinea, melhorando a produçao de colageno e estimulando a cicatrizaçao. Além disso a BU tb retira fibrin de pouca extensao. Obtenha uma prescriçao do medico vascular para a BU e tenha um professional treinado para colocar BU. Trocas diarias do curative secundario....

      Excluir
  25. Ola gostaria de tirar uma duvida.Tenho um paciente que foi picado por cobra causou uma ferida de 20 cm de comprimento e 10 de largura,esta com presenca de tecido necrosado,exsudato purulento,acima da ferida esta vermelho e quente,os exames de sangue com leucocitos altos,como proceder nesse caso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo tratamento sistemico com ABT para controle da infecção e prepare do leito da ferida atraves do desbridamento com papaína 10 ou 8% a medida que o paciente possa suportar, depois de desbridado manter meio úmido com coberturas a base de hidrogéis ou óleos. Sempre preencher cavidade!! Lembre-se esta é uma ferida complexa e nao pode ser tratada com pomadas ou curativos simples...avaliaçao diaria a cada troca de curative por um professional especializado em feridas. Constantemente discutir o caso em equipe multiprofissional. A ferida pode demorar alguns meses para cicatrizar mas para saber se a tarapeutica está correta a cada semana o paciente e a ferida apresentarão melhoras! Mensure a ferida ok.

      Excluir
  26. Tenho uma prima q operou uma fístula retoanal, q comprometeu todo o ânus, está com fibrina, mesmo com todo o cuidado e curativos, o
    q devo passar, estou usando colagenase, meu e-mail é anapaulaenf2012@gmail.com. as vezes é muito difícil procurar ajuda quando não se tem condições ONG e abraço

    ResponderExcluir
  27. Ola Idevania, gostaria que me ajudasse a sair de um pesadelo que estou vivendo a quase 3 meses. Em novembro do ano passado eu fiz um cirurgia para tratar uma piomiosite tropical na panturilha que resultou num corte de 30 cm, porem ja se passaram quase e meses e nada de cicatrizar minha ferida, chegaram ate a fazer um procedimento cirurgico para retirar a fibrina que acabou retirando muito tecido muscular da minha panturilha, e ate agora nada de terminar de cicatrizar, cada medico fala uma coisa diferente a respeito do meu quadro e as infermeiras nao sabem nem como proceder corretamente a respeito do meu tratamento, me ajude por favor, me mande seu e-mail para mandar uma foto da minha perna atualmente e para que eu possa conversar com voçe a respeito, por favor, perdi minha bolsa na faculdade e o meu emprego em razao de tanta demora nesta cicatrizaçao que ainda nao se concluiu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu e-mail e: tenochtitlan_quetzalcoatl@hotmail.com

      Excluir
  28. Olá, estou desde julho com manchas na pele, elas ficam vermelhas conforme o dia, e depois brancas! não forma ferida,mas coça!
    A maioria está nas pernas! agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cassia, te oriento a procurar um dermatologista que irá fazer testes para chegar a um diagnóstico! grata e boa sorte.

      Excluir
    2. Obg por a orientação me foi de grande valia ,pois estou cuidando de uma idosa que está escara de compressão na região cocxigiana com apresentação de fibrina e em outras partes granulação avermelhada ,mas apresentando diminuição dos cm da ferida .
      Muito grata por as orientações

      Excluir
  29. Ola, bom dia
    Tenho MTS duvidas quanto a escolha do tópico...no hospital onde trabalho só temos a sulfa, colagenase, papaína, neomicina e o age...em q situações posso utilizar?esfacelou e fibrina e a MSM coisa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá sulfa e a neomicina não são indicados em feridas crõnicas apenas em feridas agudas, ou seja onde a bacteria ainda está superficial e será necessário apenas poucos dias de uso. Já a sulfa pode ser indicada em casos de queimadura, mas se tiver diagnóstico de infecçao!! Após isso deverá ser tratada conforme a aparencia do tecido, com age ou géis. A papaína tem resultados melhores que a colagenase para necrose e fibrina. Te oriento a formar um grupo de feridas para discutir a implementaçao de um protocolo para o seu hospital de acordo com a realidade e assi implementar produtos baseados em evidencia. Busque fazer cursos e participar em congressos. Parabens pelo su interesse e sucesso!

      Excluir
  30. Ola Idevania, bom dia
    Tenho uma duvida...em um UV, com boa parte dela contendo fibrina e exusudato porem com tecido de granulação, posso utilizar a papaína na fibrina ou corro o risco da mesma atingir o tecido de granulação? Obrigada

    ResponderExcluir
  31. Bom dia!! A papaína deve ser utilizada em fibrina e necrose seca e o risco de danificaçao do tecido de granulação é minimo, pois será utilizado apenas enquanto tiver fibrina. Alguns pacientes reclamam de dor, mas não haverá perda do tecido de granulaçao devido à isso (tavez um sangramento se o tecido estiver muito "vovo"). Após isso deve-se passar por avaliaçao de um profissional para definir os próximos produtos! Sucesso.

    ResponderExcluir
  32. MUito obrigada por essa oportunidade de apronfundar meus conhecimentos! Parabens pelo trabalho!!

    ResponderExcluir
  33. Olá. Uma dúvida. Meu noivo sofreu um acidente e amputou parte de três dedos do pé. Em um desses dedos foi feito um retavlo VY e esta com uma péssima cicatrização, dois pontos se romperam e abriu uma deiscência. Havia uma pequena parte com necrose, onde usei colagenase, e no resto SAF gel. Já parei com a colagenase. Embaixo do retalho, ha coágulos e eu pouco consigo drena los já que estão embaixo da pele e aderidos. O medico passou aquasept e retorno em uma semana, mas encomendei a pomada que ainda não chegou. Continuo com o saf gel e preocupada. Não tem odor, nem secreção, apenas essa deiscência e os coágulos/ hematomas embaixo da pele. Como retirar eles? Qual sua opinião? Monica

    ResponderExcluir
  34. Monica, desculpe a demora, apesar que online nao tem como dar orientacoes Tao precisas Espero que vc tenha resolvido e que seu noivo esteja recuperando bem?

    ResponderExcluir
  35. ola costa ldevania! eu operei minha unha q ue estava encravada e agora minha unha já não esta encravada somente ficou uma pele nas laterais como se fosse a carne esponjosa que soltam um liquido amarelado estou tomando um anti flamatorio e agora ela esta criando uma casca mas nao passa disso pois a carne esponjosa continua ali e Também fico uma pele de baixo da unha, Gostaria de saber se pra tirar essa pele somente com cirurgia ou tem algum tratamento! Abraço
    me amndei por imail por favor: samuelcolorado@hotmail.com

    ResponderExcluir
  36. Olá, gostaria de saber o que é mais aconselhado para uma ferida com grande quantidade de esfacelo, papaína 10%, hidrogel ou colagenase?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  37. Oi, gostaria de saber qual material você utiliza para mensurar feridas maiores que "não cabem na embalagem da gaze" Obrigada!

    ResponderExcluir
  38. Como faço para enviar uma foto de uma ferida sem diagnóstico para vcs.
    grato
    Gilberto

    ResponderExcluir
  39. Bom dia gostaria de envia uma foto para que me orientassem a respeito de uma ferida.
    Obrigada
    Renata

    ResponderExcluir
  40. Fantástico ,estou encantado com tanta informação e tenho aqui uma fotos,se ajudar posso mandar,como faço?

    ResponderExcluir
  41. Tenho uma ferida na perna que no inicio me dava comichao e agora está com puscho, e a ferida está em forma de bola, rendonda gostaria de saber o que é ? e está muito vermelho...apareceu do nada agradecia

    ResponderExcluir
  42. Ola Costa Edevania, seu case de exame físico de feridas está excelente, sou estudante do 4º semestre de enfermagem e usei o seu trabalho como fonte de formação de um outro trabalho meu, você está de parabéns.

    ResponderExcluir
  43. Bom dia tenho um dúvida e correto dezer que a borda está com tecido de granulação e uma borda granulada
    Meu email e meloneusa@yahoo
    Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
  44. Olá minha avó tem uma Úlcera varicosa há 4 anos. Preciso de sua ajuda. Como posso faço para fazer uma consulta física?

    ResponderExcluir
  45. Olá minha avó tem uma Úlcera varicosa há 4 anos. Preciso de sua ajuda. Como posso faço para fazer uma consulta física?

    ResponderExcluir
  46. Oi Boa tarde meu avô está com uma ferida na região da bunda está bem preta gostaria de saber como faço para cicatrizar e se corre o risco de abrir..?
    Obrigada

    ResponderExcluir
  47. Estou passando por um processo de recuperação sobre uma necrose em minha coxa. Adorei ler seu blog

    ResponderExcluir
  48. Estou passando por um processo de recuperação sobre uma necrose em minha coxa. Adorei ler seu blog

    ResponderExcluir
  49. Faz uns 5 anos que tenho uma mancha na pele (perna)ela nunca aumentou. Um dia não sei onde e não senti,bati a perna e foi justamente na mancha.Criou a casa mais embaixo fica úmido e não cicatriza o que tenho que fazer?

    ResponderExcluir
  50. Boa noite meu nome e Noemia tecnica gostaria de saber se esfacelo e fibrina e a mesma coisa.Mi surgiu essa duvida
    por favor pode mi esclarecer ? Obg

    ResponderExcluir
  51. Fiz abdonoplástia e abriu os pontos 3 centímetros. Demora muito fechar? Está assim no momento.

    ResponderExcluir
  52. então posso retirar a Fibrina ou esfacelo: de uma ferida?????

    ResponderExcluir
  53. Ajudou me bastante sou aluno de enfermagem obrigado pessoal gostei mesmo muito abrigado su de cabo verde mas a sabedoria partilhada não ten fronteira e ajuda mesmo

    ResponderExcluir
  54. Meu nome é marizete dos Santos sou enfermeira e tenho uma dúvida sobre a ferida quando ela está com aquela capa amarela nas bordas da ferida temos que remove las
    ?

    ResponderExcluir
  55. estou cuidando de uma ulcera que abriu abaixo do isqui devido a formaçao de furunculose debridei e estou usando alginato porem minha preocupaçao e esta ficando profunda

    ResponderExcluir
  56. Boa tarde tenho um ferida no pé que demorou 1 ano e meio pra cicatrizar, fiz vários exames e não apontou nenhuma doença fiz, tomei inúmeros remédios e o médico chegou a congelar meu pé com hidrogênio liquido mais não resolveu. Após sofrer muito comecei a passar a ceiva da babosa alguns dias depois no banho senti alguma coisa dura dentro da ferida retirei parecia um pedra mas tinha cor azul retirei e joguei fora. Continue passando babosa e em alguns dias a ferida fechou mais a pele ficou fina rebaixada onde era a ferida em volta ficou roxo. Por dez anos não tive problemas até que em 2014 fui a praia fiquei uns dias. Dias apos o retorno a ferida abriu novamente não passei babosa demorou uns 15 dias e cicatrizou ficando com o mesmo aspecto o local. Esse ano fui nadar em um rio fiquei na água umas 5 horas e alguns dias depois a ferida abriu e fechou em 3 dias. A pele do local e muito fina, gostaria de saber se isso é alguma doença qual é o tratamento e qual é o médico que devo consultar?

    ResponderExcluir
  57. Oi,gostaria d fazer uma consulta,como faço !?

    ResponderExcluir
  58. Olá, estou passando papaína 10% nas costas da minha mãe, mas quando comecei a passar a papaína, a ferida começou a feder muito, a médica receitou há uma semana, isso é normal? Minha mãe está na espera para fazer o debridamento e um enxerto.

    ResponderExcluir
  59. Parabéns pelo material, Idevânia! Gostaria de saber qual a melhor opção para debridamento de necrose em couro cabeludo, se hidrogel ou papaína. Eu acreditava que hidrogel era a melhor opção, porém estou usando há 15 dias e não houve diferença.

    ResponderExcluir
  60. Por favor qual é o endereço da Clínica em Campinas?

    ResponderExcluir
  61. Olá, Boa noite...gostaria de saber se a fribina Server para o rejuvenescer o rosto

    ResponderExcluir
  62. Eu cuido de minha mãe, uso os mais sofisticados de curativos, óleo, hidrogel, hidrocolóide, colagenase, isto já tem mais de 4 meses e não vejo melhora alguma. A ferida nem melhora e nem piora? Aceito qualquer sugestão

    ResponderExcluir

Deixe seus comentários, experiências, dúvidas... Participe!!